segunda-feira, 20 de março de 2017

Em dois atos

A águia vive em média 70 anos, por volta de seus 40 anos a sobrevivência fica comprometida e carente de uma importante decisão: suas unhas grandes e flexíveis dificultam a busca por suas presas; o bico frágil, alongado e pontiagudo se curva e colabora para o caos; suas asas tornam-se pesadas pela espessura das penas envelhecidas e o plano de voo torna-se complicado.
Com duas opções: morrer ou enfrentar 150 dolorosos dias de renovação...
Parte para o alto de uma montanha, e para fugir de seus predadores constrói seu ninho ao lado de um paredão, sabendo que para retornar terá que desempenhar um belo voo.
Corajosamente dá início ao seu processo de renovo, enfrentando bravamente a dor...
Começa a bater com seu bico no paredão até que o arranque e pacientemente espera pelo nascimento de um novinho, com ele começa a arrancar suas unhas uma a uma para que as novas e precisas garras nasçam, só então com elas... depena-se e livra-se do peso das ultrapassadas para que venham as novas penas e coloquem fim ao isolamento.
Após 5 meses retorna renovada para seu segundo tempo, num voo de renovo e superação.

Autor desconhecido
Adaptação Casciano Lopes

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Primeiro passo

Aceitar-se como humano, passível de erros, impurezas e "pecados" torna o fardo de viver mais leve e o caminho para o aprimoramento mais suave. A carga que nos é imposta pela sociedade, pelas religiões, pelos padrões que vivemos, geram os traumas, as culpas, as cargas excessivas que ao invés de nos encaminhar para o crescimento pessoal nos atola na areia movediça do remorso, da angústia e da depressão. Perdoar-se é o primeiro passo para buscar um perdão superior.

Mauro Gouvêa


Faz parte da cura


domingo, 13 de novembro de 2016

Divulguem-nos


Sem chance

Se você vê tudo pequeno, se gosta da expressão 'mundinho', se alia as tuas energias apenas ao dispendioso trabalho desta vida, se une tua força ao mortal corpo como único e falível... Teu Ser será pequeno, do tamanho de tuas crenças e a possibilidade de fazer algo grande é nula.

TH Casciano de Almeida Lopes

Tirem uns minutinhos para ler essa entrevista.

ENTREVISTA COM UM MÉDICO TIBETANO: LAMA TULKU LOBSANG RINPOCHE

"Sou uma pessoa normal, penso o tempo todo. Mas tenho a mente treinada. Isso quer dizer que não sigo meus pensamentos. Eles vêm, mas não afetam nem minha mente, nem meu coração."


Quando um paciente chega para consulta, como o senhor sabe qual o problema?
R – Olhando como ele se move, sua postura, seu olhar. Não é necessário que fale nem explique o que se passa. Um doutor de medicina tibetana experiente sabe do que sofre o paciente a 10 m de distância.

Mas o senhor também verifica seus pulsos.
R – Assim obtenho a informação que necessito sobre a saúde do paciente. Com a leitura do ritmo dos pulsos é possível diagnosticar cerca de 95% das enfermidades, inclusive psicológicas. A informação dada por eles é precisa como um computador. Para lê-los, é necessária muita experiência.

E depois, como realiza a cura?
R – Com as mãos, o olhar e preparados de plantas e minerais.

Segundo a medicina tibetana, qual é a origem das doenças?
R – Nossa ignorância.

Então, perdoe a minha, mas o que entender por ignorância?
R – Não saber que não sabe. Não ver com clareza. Quando vemos com clareza, não temos que pensar. Quando não vemos claramente, colocamos o pensamento para funcionar. E, quanto mais pensamos, mais ignorantes somos, mais confusão criamos.

Como posso ser menos ignorante?
R – Vou ensinar um método muito simples: praticando a compaixão. É a maneira mais fácil de reduzir os pensamentos. E o amor. Se amamos alguém de verdade, se não o queremos só para nós, aumentamos a compaixão.

Que problemas percebe no Ocidente?
R – O medo. O medo é o assassino do coração humano.

Por quê?
R – Porque, com medo, é impossível ser feliz e fazer felizes os outros.

Como enfrentar o medo?
R – Com aceitação. O medo é resistência ao desconhecido.

Como médico, em que parte do corpo vê mais problemas?
R – Na coluna, na parte baixa da coluna: as pessoas permanecem sentadas tempo demais na mesma posição. Com isso, se tornam rígidas demais.

Temos muitos problemas.
R: Acreditamos ter muitos problemas, mas, na realidade, nosso problema é que não os temos.

O que isso quer dizer?
R – Que nos acostumamos a ter nossas necessidades básicas satisfeitas, de modo que qualquer pequena contrariedade nos parece um problema. Então, ativamos a mente e começamos a dar voltas e mais voltas sem conseguir solucioná-la.

Alguma recomendação?
R – Se o problema tem solução, já não é um problema. Se não tem, também não.

E para o estresse?
R – Para evitá-lo, é melhor estar louco.

???
R – É uma piada. Mas não tão piada assim. Eu me refiro a ser ou parecer normal por fora e, por dentro, estar louco: é a melhor maneira de viver.

Que relação o senhor tem com sua mente?
R – Sou uma pessoa normal, penso o tempo todo. Mas tenho a mente treinada. Isso quer dizer que não sigo meus pensamentos. Eles vêm, mas não afetam nem minha mente, nem meu coração.

O senhor ri muito?
R – Quando alguém ri nos abre seu coração. Se você não abre seu coração, é impossível entender o humor. Quando rimos, tudo fica claro. Essa é a linguagem mais poderosa que nos conecta uns aos outros diretamente.

O senhor acaba de lançar um CD de mantras com base eletrônica, para o público ocidental.
R – A música, os mantras e a energia do corpo são a mesma coisa. Como o riso, a música é um grande canal para nos conectar com o outro. Por meio dela, podemos nos abrir e nos transformar: assim, usamos a música em nossa tradição.

O que gostaria de ser quando ficar mais velho?
R: Gostaria de estar preparado para a morte.

E mais nada?
R – O resto não importa. A morte é o mais importante da vida. Creio que já estou preparado. Mas, antes da morte, devemos nos ocupar da vida. Cada momento é único. Se damos sentido à nossa vida, chegamos à morte com paz interior.

Aqui vivemos de costas para a morte.
R: Vocês mantêm a morte em segredo. Até que chegará um dia em sua vida em que já não será um segredo: não será possível escondê-la.

E qual o sentido da vida?
R – A vida tem sentido e não tem. Depende de quem você é. Se você realmente vive sua vida, então a vida tem sentido. Todos têm vida, mas nem todos a vivem. Todos temos direito a sermos felizes, mas temos que exercer esse direito. Do contrário, a vida não tem sentido.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Eu me perdôo

De todos os perdões,
o mais difícil é aquele que nos devemos,
perdoar a nós mesmos é a porta para todos os outros.

Casciano Lopes

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Em busca de cura

Percebe que quando temos um cantinho de unha machucado, um dedo ferido, é justamente esse dolorido que enfiamos nas quinas dos móveis e em qualquer objeto que formos alcançar?
Também é assim quando os sentimentos estão frágeis e as cicatrizes emocionais latejam, os dedos alheios parecem cavucar o ferimento, com qualquer palavra ou atitude nos despertamos a doer...
Não há propósito nestes casos, não é sempre uma escolha ferir duas vezes a mesma ferida, é uma questão de sensibilidade localizada nos alertando para a necessidade de cura.

TH Casciano de Almeida Lopes

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Muito prazer, eu sou o seu sintoma

Já pensou se o seu sintoma tivesse a chance de te escreve um carta? Garanto que seria alguma coisa assim:
“Olá, tenho muitos nomes: dor de joelho, abscesso, dor de estômago, reumatismo, asma, mucosidade, gripe, dor nas costas, ciática, câncer, depressão, enxaqueca, tosse, dor de garganta, insuficiência renal, diabetes, hemorroidas e a lista continua. Ofereci-me como voluntário para o pior trabalho: ser o portador de notícias pouco agradáveis para você.
Você não entende, ninguém me compreende. Você acha que eu quero lhe incomodar, estragar os seus planos de vida, todo mundo pensa que desejo atrapalhar, fazer o mal, limitar vocês. E não é assim, isso seria um absurdo. Eu o sintoma, simplesmente estou tentando lhe falar numa linguagem que você entenda.
Vamos ver, me diga alguma coisa. Você negociaria com terroristas, batendo na porta com uma flor na mão e vestindo uma camiseta com o símbolo da “paz” impresso nas costas? Não, certo?
Então, por que você não entende que eu, o sintoma não posso ser “sutil” e “levinho” quando preciso lhe passar uma mensagem. Me bate, me odeia, reclama de mim para todas as pessoas, reclama de minha presença no seu corpo mas, não para um minuto para pensar e raciocinar e tentar compreender o motivo de minha presença no seu corpo.
Apenas escuto você dizer: “Cala-te”, “vá embora”, “te odeio”, “maldita a hora que apareces-te”, e muitas frases que me tornam impotente para lhe fazer entender mas, devo me manter firme e constante, porque devo lhe fazer entender a mensagem.
O que você faz? Manda-me dormir com remédios. Manda-me calar com sedativos, me suplica para desaparecer com anti-inflamatórios, quer me apagar com quimioterapia. Tenta dia após dia, me calar. E me surpreendo de ver que às vezes, até prefere consultar bruxas e adivinhos para de forma “mágica” me fazer sumir do seu corpo.
A minha única intenção é lhe passar uma mensagem, mesmo assim, você me ignora totalmente.
Imagine que sou a sirene do Titanic, aquela que tenta de mil maneiras avisar que tem um iceberg na frente e você vai bater com ele e afundar. Toco e toco durante horas, semanas, meses, durante anos, tentando salvar sua vida, e você reclama que não deixo você dormir, que não deixo você caminhar, que não deixo você trabalhar, ainda assim continua sem me ouvir…

Está compreendendo?

Para você, eu o sintoma, sou “A doença”.

Que absurdo! Não confunda as coisas.

Aí você vai ao médico e paga por tantas consultas.

Gasta um dinheiro que não tem em medicamentos e só para me calar.

Eu não sou a doença, sou o sintoma.

Por que me cala, quando sou o único alarme que está tentando lhe salvar?



A doença “é você”, é “o seu estilo de vida”, são “as suas emoções contidas”, isso que é a doença e nenhum médico aqui no planeta terra sabe como as combater, a única coisa que eles fazem é me atacar, ou seja, combater o sintoma, me calar, me silenciar, me fazer desaparecer. Tornar-me invisível para você não me enxergar.
É bom se você se sentir incomodado por estar lendo isso, deve ser algo assim como um “golpe na sua inteligência”. Está certo se estiver se sentindo frustrado, mas eu posso conduzir o teu processo muito bem e o entendo. De fato, isso faz parte do meu trabalho, não precisa se preocupar. A boa notícia é que depende de você não precisar mais de mim, depende totalmente de você analisar o que tento lhe dizer, o que tento prevenir.
Quando eu, “o sintoma” apareço na sua vida, não é para lhe cumprimentar, é para lhe avisar que uma emoção contida no seu corpo, deve ser analisada e resolvida para não ficar doente. Deveria se perguntar a si mesmo: “por que apareceu esse sintoma na minha vida”, “que pretende me alertar”? Por que está aparecendo esse sintoma agora?

Que devo mudar em mim?

Se você deixar essas perguntas apenas para sua mente, as respostas não vão levar você além do que já vem acontecendo há anos. Deve perguntar também ao seu inconsciente, ao seu coração, às suas emoções.
Por favor, quando eu aparecer no seu corpo, antes de procurar um médico para me adormecer, analise o que tento lhe dizer, verdadeiramente, por uma vez na vida, gostaria que o meu excelente trabalho fosse reconhecido e, quanto mais rápido tomar consciência do porquê do aparecimento no seu corpo, mais rápido irei embora.
Aos poucos descobrirá que quanto melhor analisar, menos lhe visitarei. Garanto a você que chegará o dia que não me verá nem me sentirá mais. Conforme atingir esse equilíbrio e perfeição como “analisador” de sua vida, de suas emoções, de suas reações, de sua coerência, não precisará mais consultar um médico ou comprar remédios.

Por favor, me deixe sem trabalho.

Ou você acha que eu gosto do que eu faço?

Convido você para refletir sobre o motivo de minha visita, cada vez que eu apareça.

Deixe de me mostrar para os seus amigos e sua família como se eu fosse um troféu.


Antony Gormley

Estou farto que você diga:

“Então, continuo com diabetes, sou diabético”.

“Não suporto mais a dor no joelho, não consigo caminhar”.

“Aqui estou eu, sempre com enxaqueca”.

Você acha que eu sou um tesouro do qual não pretende se desapegar jamais.

Meu trabalho é vergonhoso e você deveria sentir vergonha de tanto me elogiar na frente dos outros. Toda vez que isso acontece você na verdade, está dizendo: “Olhem que fraco sou, não consigo analisar, nem compreender o meu próprio corpo, as minhas emoções, não vivo coerentemente, reparem, reparem!”.

Por favor, tome consciência, reflita e aja.

Quanto antes o fizer, mais cedo partirei de sua vida!

Atenciosamente,

O sintoma.”

***

Autor desconhecido.

Se alguém conhecer a autoria por favor me informe para eu referenciá-lo devidamente.

Texto encontrado em: Diogo Guimaraes Psicoterapeuta 

Imagem de capa: Antony Gormley at Forte Belvedere, Florence

sábado, 21 de novembro de 2015

5 tipos de vampiros emocionais


Vampiros emocionais, eles estão por toda parte, sempre com o mesmo conto. De início, parecem ótimos e confiáveis, mas depois, sugam sua energia vital. Não correspondem, só absorvem o que há de bom nas relações.

Nossos vínculos, dependem da forma como os alimentamos, se um lado alimentar com inveja, revolta e reclamações, certamente a relação se tornará pouco saudável e prejudicial ao espírito.

A verdade é que o perigo de pessoas tóxicas, está sempre à espreita, acabamos tendo que buscar métodos de defesa.

Charles Bukowski dizia:

[…] “Não deixe as pessoas serem
seu alicerce, elas são uma aposta ruim,
a pior aposta que você pode fazer.”

A seguir definiremos 5 tipos de pessoas que intoxicam as emoções, sugando a sua energia como um vampiro e observando você como se fosse um depredador.

1- O invejoso

Pessoas que apreciam a fofoca, o falar mal dos outros. Gostam de criar histórias, difamar alguém para o maior número de pessoas possível, porque assim, sentem-se bem.

Este é um tipo bastante entristecedor, no entanto, o único meio de defesa é ignorar. Você não precisa se defender, buscar justificativas para a sua vida.

Buscar a distância de pessoas assim, faz bem para a saúde.

2- Os bons

Existem pessoas que gostam de se sobrepor diante outras. São os reis e rainhas, gabaritaram a vida e serão sempre melhores que você.

Corra desse tipo, você acabará sentindo-se inseguro em meio à tanta perfeição falsa.

“Toda a gente que eu conheço e que fala comigo,
Nunca teve um ato ridículo, nunca sofreu enxovalho,
Nunca foi senão príncipe – todos eles príncipes – na vida…


Quem me dera ouvir de alguém a voz humana
Que confessasse não um pecado, mas uma infâmia;
Que contasse, não uma violência, mas uma covardia!
Não, são todos o ideal, se os oiço e me falam.
Quem há neste largo mundo que me confesse que uma vez foi vil?
Ó príncipes, meus irmãos.

Arre, estou farto de semideuses!
Onde é que há gente no mundo?

Então sou só eu que é vil e errôneo nesta terra?”

Trecho de Fernando Pessoa, por seu heterônimo Álvaro de Campos, do seu Poema em Linha Reta

3- O furioso

Viciados em ira, criticam, discutem por pouco e causam transtornos por nada.

Procure não se deixar levar por todo esse estresse, mantenha a calma, desta forma, você conseguirá desarmar essa pessoa, deixando-a espairecer para depois expor a sua visão, fazendo com que reconheça e perceba a sua posição.

4- O narcisista

O mundo gira em torno dessas pessoas, famintas por atenção. Podem parecer ser pessoas inteligentes e encantadoras, até que veem ameaçada a sua condição de guru, de exemplo a seguir, ou de autoridade intelectual, então enlouquecem, mostram a real face.



5- O passivo-agressivo

Ela quer te matar, mas está sorrindo. São especialistas em camuflar e adoçar a hostilidade. Todos já usamos esta técnica alguma vez, mas estas pessoas exageram nela.

A melhor autodefesa é conduzir o seu comportamento mantendo as suas convicções, criando limites e fazendo-os valer. Você merece ser tratado com amor e sinceridade e não deve permitir que lhe a pessoa lhe fale “como se estivesse lhe perdoando a vida”.

quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Nossos corpos

É preciso tratar as causas das doenças e não apenas os sintomas; tantas vezes nos pegamos cuidando das dores do corpo físico sem nos preocuparmos com suas origens.
As doenças se cristalizam no corpo físico quando os canais de corpos sutis guardam feridas, cicatrizes mal curadas e traumas sofridos.
Há marcas em nossos corpos que uma receita alopata não cura.

TH Casciano Lopes


quarta-feira, 24 de junho de 2015

Pontos importantes do Reiki

1) Reiki é uma ciência energética. Reiki trabalha independente de qualquer sistema religioso.

2) Reiki é energia não polarizada, portanto, sempre segura.

3) Como o Reiki é não-polarizado, pode ser usado até por uma criança; pode ser usado para tratar, até mesmo, doenças crônicas; ou por um adulto de qualquer meio social.

4) Sendo não-polarizado, Reiki trabalha conjuntamente com qualquer outra forma de terapia incluindo medicamentos, quimioterapia, cirurgia, homeopatia, acupuntura, etc.

5) Porque Reiki é energia que emana do nível subatômico, quando fazendo o tratamento, o terapeuta utiliza primeiramente a Energia Reiki e de uma maneira menor, de toda energia inata do corpo. O terapeuta de Reiki não arrisca nada ao tratar de outros e o Reiki na verdade estará energizando-os quando eles tratam de outra pessoa. Após tratar muitos pacientes, por mais que estejam doentes, o terapeuta Reiki geralmente se sente mais energizado.

6) Reiki trabalha no plano causal, isto é, no nível da raiz da causa e como tal, trata o corpo como um todo; É holístico por natureza, porém não requer nenhuma habilidade em diagnosticar por parte do terapeuta. Por estas razões, Reiki pode ser usado eficientemente por qualquer pessoa de qualquer idade ou meio social.


Princípios do Reiki

GOKAI (Os cinco Princípios do Reiki)
Kyo Dake Wa (Só por hoje)
  1. Okoro-Na (Não se zangue)
  2. Shimpai Suna (Não se preocupe)
  3. Kansha Shite (Expresse sua gratidão)
  4. Gyo Wo Hage Me (Seja aplicado em seu trabalho)
  5. Hito Ni Shinsetsu Ni (Seja gentil com os outros)
Estes são os princípios do Reiki tal como Mikao Usui os recebeu do Imperador Meiji. Trabalhar arduamente refere-se ao trabalho espiritual, de modo a procurar o objetivo de vida da nossas alma. O sistema Usui de Reiki é um sistema iluminado, que permite o auto-equilíbrio e o equilíbrio energético do próximo. Foi desenvolvido para o ligar e sincronizar com a Fonte Universal do Amor, Luz e Harmonia. Raiva, preocupação, rudeza e outros comportamentos e sentimentos baseados no ego, tornam difícil esta ligação. Tornam também a pessoa adormecida e inconsciente do grande objetivo espiritual da alma.
Os princípios eram ditos de manhã e à noite. Eram também ditos antes das meditações. Pensar nos princípios ao longo do dia, também ajuda. Quando estes pequenos e simples princípios são integrados no pensamento, passa-se a tomar consciência da sua presença quando se irrita, preocupa ou é antipático para com os outros. Deste modo, aprende a ver porque reage de determinadas formas, e assim tomar consciência do seu processo de cura. Verifica que ao fazer isto, se encontrará cada vez mais em sintonia e harmonia com a fonte Universal do Amor, Luz e Harmonia.

1 - SÓ POR HOJE, NÃO SE PREOCUPE:

Preocupar-se é esquecer que há um propósito divino universal em tudo o que acontece. A preocupação com o passado é inútil, pois cada pessoa faz o melhor que pode em cada situação da vida, conforme o conhecimento ou sabedoria que tem em determinado momento quando lamentamos um ato passado, devemos perceber que reagimos de acordo com os recursos que possuímos, então, devemos meditar sobre este ato, tirar daí uma lição, e sermos gratos por ela. Quanto ao futuro, também não vale a pena nos preocuparmos com ele, pois o criamos agora. Se cultivarmos a bondade, o amor incondicional, a benevolência, o pensamento positivo, então o nosso futuro será repleto de amor e ainda que aconteça algo que consideramos negativo, trata-se de mais uma lição a ser aprendida.

2 - SÓ POR HOJE, NÃO SE IRRITE:

A raiva é uma emoção desnecessária. Quando uma pessoa se irrita, perde seu centro, seu sincronismo com o universo e com seu propósito de vida. Quando damos o melhor de nós e nos irritamos, porque consideramos que alguém não agiu de acordo com nossas expectativas necessidades e desejos. Tendemos a esquecer que essas pessoas foram atraídas para o nosso ambiente e que espelham a nós mesmos. Na verdade, toda a situação é um reflexo de causa e efeito criado pela própria pessoa. Essa atração pode servir para estimular nossos pontos fracos, que são a causa da raiva. Assim, quando uma pessoa incita outra a se irritar, a segunda deve controlar a emoção, dar conta consciente das suas reações e dominar as suas emoções. A raiva é uma energia que desarmoniza e cria doenças no corpo. É de grande sabedoria e altamente benéfico aprender a transformar esta energia lidando construtivamente com ela.

3 - SÓ POR HOJE, SEJA GRATO ÀS BÊNÇÃOS QUE RECEBE:

Quando estamos na atitude de gratidão, nos sentimos abençoados pelo que recebemos, e também por aquilo que confiamos que constantemente será provido pela natureza, conseqüentemente começamos a atrair magneticamente a abundância. Quando nos focamos no que não temos, a falta continuará; por outro lado, se mantivermos conscientes da abundância ao nosso redor e nos sentirmos gratos por ela, a abundância se manifestará.

4 - HOJE E SEMPRE, GANHA TEU PÃO DIÁRIO HONESTAMENTE:

De extrema importância para um fluxo de vida harmonioso, é a honestidade da pessoa em lidar com ela própria. Esta postura leva a pessoa a enfrentar a verdade em todas as coisas e conseqüentemente tenderá a projetar honestidade sobre os que a circundam. Ao invés de viver uma vida carregada de ilusão, rejeitando a realidade se uma pessoa viver na verdade, se for honesta consigo, descobre um bem estar interior tão agradável que será difícil não querer voltar a senti-la. Descobre que através da honestidade a sua qualidade de vida é potencializada. Assim, se a pessoa trabalha honestamente, está sendo verdadeira para com o se Eu Superior. Esta verdade é reforçada por um aumento de amor próprio que vai conseqüentemente irradiar harmonia em sua vida.

5 - HOJE E SEMPRE, MOSTRE GRATIDÃO PARA COM TODOS OS SERES VIVOS:

Graças aos estudos da Física, sabemos agora, que originalmente, somos todos provenientes da mesma Fonte. Estamos também descobrindo que, para sobreviver, teremos de eliminar a nossa tendência egocêntrica de querer controlar a natureza e aprender a mostrar amor e respeito para com todas as formas de vida. A Física nos mostrou também que não há matéria sólida, apenas níveis diferentes de vibração que vibram em diferentes freqüências de energia, e que, contudo são todos interconectados porque não existem barreiras sólidas entre ele. Assim, quando aceitamos todos os aspectos de nós mesmos, afetamos todos os outros. Da mesma forma, quando aceitamos os outros, sentimos o reflexo em nós próprios. Cada pessoa, animal, planta e mineral está incluído no todo. Mostrar amor e respeito por todos os outros seres é amar e respeitar a nós mesmos.

“MAIORES CONHECIMENTOS, MAIORES RESPONSABILIDADES”


Equilíbrio

Enquanto o homem achar que entre ele e uma árvore, ele tem prioridade... ainda estará perdido e longe do caminho de casa.

Casciano Lopes

Está em nossas mãos. Não fazer nada por poder fazer pouco, é um crime.

Mãe Terra

Tudo está interligado
O sistema é único
O amor é o canal que alimenta
Se você não devolve o que recebe
Chegará a hora em que não terá mais o que receber.

Casciano Lopes

Alerta terapêutico

A enfermidade é um conflito entre a personalidade e a alma.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a “criança interna” tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Os joelhos doem quando o orgulho não se dobra.
O câncer mata quando não se perdoa e/ou cansa de viver.
E as dores caladas? Como falam em nosso corpo?
A enfermidade não é má, ela avisa quando erramos a direção.
O caminho para a felicidade não é reto, existem curvas chamadas Equívocos, existem semáforos chamados Amigos, luzes de precaução chamadas Família, e ajudará muito ter no caminho uma peça de reposição chamada Decisão, um potente motor chamado Amor, [...] abundante combustível chamado Paciência. [...]



Florais de Saint Germain

O que é terapia floral

Acreditando que determinadas flores têm propriedades vibracionais, ou seja, energéticas semelhantes à da alma humana em equilíbrio, o médico inglês Edward Bach legou para o mundo, na primeira metade deste século, 38 essências florais inglesas, indicadas para rearmonizar as emoções humanas e, conseqüentemente, promover a saúde das pessoas.


Seguindo seus passos, pesquisadores florais de diferentes regiões do mundo continuam extraindo, de novas flores, as vibrações necessárias para inúmeros males.

As flores veiculam a mensagem das forças vitais da natureza. Consideradas, pelos adeptos da terapia floral, elementos de transformação e equilíbrio entre as forças vitais da natureza e do cosmo, as essências florais são utilizadas como instrumento de harmonização, funcionando como auxiliares eficazes na cura de diversos males. Sutis, essas essências transferem suas vibrações suaves, harmonizadoras, para quem se utiliza delas, levando às pessoas uma agradável sensação de conforto e bem-estar.

As essências florais sintetizam os fundamentos de uma nova medicina, criada pelo dr. Bach, e tornam-se extremamente benéficas e eficazes na promoção da saúde, já que as doenças se originam, em grande parte, nas emoções mais profundas, que estão em desequilíbrio e mal resolvidas dentro de nós.

Estresse, cansaço, ansiedade, medo, pânico, solidão, insegurança, ciúme, problemas de relacionamento em casa ou no trabalho, além de angústia, depressão, desespero e crises em diferentes fases da vida (adolescência, idade adulta, menopausa e andropausa, terceira idade), problemas na infância, pesadelos, insônia, tabagismo, alcoolismo, drogas, dificuldades na escola e uma série de conflitos internos ou externos vêm-se tornando responsáveis por distúrbios físicos e mentais que afetam cada vez mais gente.

Para preencher a lacuna instalada no coração, na mente e na alma das pessoas, os florais aparecem como espécies de “remédios” contra as inquietações e desarmonias internas, que comprometem a saúde da pessoa.

Fonte: Revista Brasileira de Terapia Floral